quinta-feira, 22 de setembro de 2011

O leite derramado e a tatuagem



É triste a despedida. Já sinto a dor das letras da palavra SAUDADE sendo tatuadas em meu coração. E tatuagem é pra sempre, mesmo que se cubra com outra ou a retire com os tratamentos avançados existentes hoje em dia, o lugar onde existia será eternamente lembrado.
O que posso fazer? O que devo fazer? Parece que o domínio, a força que existia em mim esvaiu entre os meus dedos. Chorar pelo leite derramado? Não! Nunca fiz isso! Nem quando o leite de verdade se perdia pelas bocas do fogão me indicando que além do dinheiro perdido perderia também um tempo a mais com a limpeza do fogão sujo. Sinto raiva, por ter agido com displicência com o leite assim como o fiz com você. Se tivesse tido mais atenção, se fosse mais presente, acho que nada disso teria acontecido.
Resta-me agora lavar a vasilha, limpar o fogão, tirar o cheiro de leite queimado da casa e tentar caminhar de cabeça erguida com essa nova tatuagem que ainda sangra o meu peito: SAUDADE, diz ela. Não sabia que sete letras doíam tanto.

2 comentários:

  1. A quem se refere? Sua avó? Ta perdoado, pq se for amizade meu amigo...esqueça, amigos são aqueles que n nos decepciona pq eles nos conhecem e sabem do que somos capazes, jamais um amigo pode se afastar pq amigo de verdade é como tatuagem no coração que se caso haja a possibilidade de retirada da tatuagem as cicatrizes impossibilitam o coração de bater como antes, uma isquemia local, um ICC instalado e no fim só resta a morte. Saudades de vc!

    ResponderExcluir
  2. Não se refere a ninguém específico, foi meio que intuitivo o texto. Mas amigos esses eu retratei no texto O velho álbum de um velho homem, os que me edificam ali estão! Saudades tb

    ResponderExcluir