domingo, 24 de março de 2013

Eu não preciso de você



Eu não preciso de você, brado isso de cima da torre mais alta dessa cidade com um megafone a punho separando cada uma das sílabas para facilitar o entendimento até pros analfabetos. EU-NÃO-PRE-CI-SO-DE-VO-CÊ!
Cansei de ser subjulgada, de ter meu amor negligenciado, de ter minhas atenções minimizadas e por vezes esquecidas. Lembra-se de como ficou com medo quando lhe alertei que ficar sem meu amor é muito pior que ser meu inimigo? Pois agora serás esquecido. Irás pro limbo das lembranças. Eu não preciso de você. Preciso apenas de minha vida e meu amor próprio de volta e que foram jogadas na lata de lixo da cozinha e voltar a usá-los em meu benefício.
Vi quando me acenou hoje à tarde e não respondi pelo simples prazer de torná-lo em minha vida um mero desconhecido, desses que falam que nos conhece, mas não conseguimos lembrar. Não lembro mais de ti por que não quero, porque não me faz bem, e aquilo que não me acrescenta não me dá saudade alguma.

Júlia Siqueira

Nenhum comentário:

Postar um comentário