segunda-feira, 24 de junho de 2013

Como não amar?


Como não amar esse seu jeito de me querer perto e se fazer presente mesmo que estejamos tão longe fisicamente? Mas estar perto não é físico, me recordo dessa frase em uma foto de um amigo meu e vejo o quanto você faz parte de minha rotina, de minhas horas e de meus dias. E aí percebo que deve haver alguma magia escondida entre essa nossa separação, algum fator que não seja apenas a distância que nos impele a permanecer assim, longe, sem nos misturar. Talvez seja medo do universo de que juntos possamos fazer algum estrago, ou ser uma fusão de coisas que se transforme em um novo elemento químico na tabela periódica e que possa a desarrumar. Como não amar essa tamanha desorganização que me organiza? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário