Questões filosóficas

Nem tudo na vida depende de amores ou gravita em torno deles. Sim todos, assim como na alegoria platônica, procuramos a nossa alma gêmea e blá blá blá, mas eu me pergunto, e se ela não nasceu, ou melhor, e se ela anda encontrando em outro aquilo que deveria encontrar em mim? Vivo nessa busca incessante em encontrar no outra a felicidade que é minha meta ou tento ser feliz com o que tenho? Nestas questões filosóficas, Socrátes bem diria a sua famigerada frase “só sei que nada sei”, e eu... eu concordaria com ele plenamente. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A gata e o periquito: Uma fábula de amor

O olhar do menino

Caetano não é pra high-techs