quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Respeito e aceitação

Existe uma linha, ainda que tênue, que separa respeito e aceitação, mas sim ela existe. Talvez seja um critério estabelecido por mim, devido à minha chatice cotidiana, ou algo no cosmos que tenha feito eu bloquear em minha mente que essas duas situações não possam ser simplificadas como uma só.  E não são. Por exemplo, eu respeito que uma mulher apanhe de seu companheiro e aceite continuar com ele por “amor”, mas aceitar que em pleno século XXI, qualquer pessoa jogue o seu amor próprio por conta de algo assim, realmente não aceito.
Respeito que alguns gays vivam sua sexualidade de modo escancarado, mas não aceito que você se torne o estereótipo que a sociedade lhe impõe e que você seja apenas a sua opção sexual.
Respeito que você ganhe o seu pão de cada dia de maneira desonesta, mas aceitar a ponto de compactuar com suas atitudes, isso jamais. 
Respeitar atitudes entra num princípio de poupar-se de discussões e conflitos desnecessários, afinal cada um sabendo de si, realiza aquilo que bem entende. No entanto, cabe a cada indivíduo, dentro de seus valores pessoais, separar o joio do trigo como na parábola bíblica. Misturar água e óleo nunca foi possível, logo achar que porque eu te respeito chego a aceitar sua conduta é algo que ficará apenas no achismo e numa realidade apenas sua. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário