sábado, 5 de março de 2016

Amor e paixão

Tem gente que acredita que amar é uma coisa diferente de se apaixonar. A paixão é fogo, brasa que queima os corpos que se unem com excitação, palavras ditas no ouvido, carinhos intensos e constantes, a constante inovação. Amor, ah... O amor é outra coisa, certo? Errado. Engana-se aquele que acredita que o amor não pode ser efusivo, que o amor é calmo como um mar sem ondas, que amando você não sente as mesmas vontades, mas acerta-se quanto à diferença da paixão.
Quem ama entende que você não precisa dizer eu te amo sempre, incansavelmente, em momentos diversos. Quem ama o faz com o olhar, numa noite de sono da pessoa amada ou num simples gesto cotidiano. Quem ama acha que o ciúme é um acessório e não uma roupa, deve senti-lo, mas não deve vive-lo, pois é criado paranoias e faz-se existir histórias estapafúrdias. Quem ama aceita você do jeito que é, mas quem é apaixonado quer mudar algo do outro, quer fazer vive-lo conforme aquilo que se acredita.
Sim, amar é diferente de apaixonar-se, porque amar pode ser uma eterna paixão, mas o contrário não. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário