sábado, 9 de maio de 2015

Você não entende nada.

Amor não é só carência, carência não é amor. Carência é quando você quer que alguém preencha o vazio que há em ti, este que te acompanha, mas isso não pode ser magicamente resolvido por outra pessoa, até porque é um problema seu honey. Você não entende nada, nada da vida, nada de mim, nada do amor. Ao contrário de me amar, tens cada dia mais me afastado a cada momento em que tento provar a ti, e fazer-te conhecer, como o amor funciona, assim do meu jeito não tão correto e nem sempre ético. Ah... o amor não tem ética. Não possui regras. Moral ele não conhece. Amar é fazer merda. Amar é viajar e ficar numa pocilga pra ver quem se ama. Amar é despir-se sem ao menos retirar uma peça de roupa. Isso que você diz que sente por mim é outra coisa, apego quem sabe. Mas como dizer que és apegado, quando ao invés de grudar em mim você usa um repelente fortíssimo em formas de nãos e talvez que me arremessa a quilômetros de distância?
Ah querido... você não entende nada, e não serei eu que perderei meu precioso tempo em te fazer aprender a entender.

Júlia Siqueira


Nenhum comentário:

Postar um comentário