domingo, 22 de novembro de 2015

Prisão sem grades

Observei durante anos a sua prisão. Prisão sem grades a sua, presa a um sonho de mudar alguém ou moldá-la para parecer melhor, ideia fixa que aos poucos se transformou em algo patológico a ponto de subverter sua subjetividade para atender supostos interesses de outrem. Mas nenhum cárcere é eterno, demorou bastante, é bem verdade, mas hoje, encontra-se livre e solta da prisão que construiu ao redor de si. Liberdade exala por seus poros e há muito não vejo tamanha felicidade em você. Certa feita em um livro li que há pessoas que nos roubam e há aquelas que nos devolve. Você só precisou parar de permitir que lhe roubassem a paz e se devolveu a si mesma. Amor só é amor de verdade quando antes de ser para alguém ele é apenas seu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário