segunda-feira, 9 de abril de 2012

Ponto e reticência


O amor tudo crê e eu acredito que um dia desses ainda iremos nos encontrar numa esquina dessas da vida, soltos ao acaso, como peças de um tabuleiro de xadrez manipulado pelas mãos habilidosas do Criador.
Sei também que o amor suporta, sabe perdoar cada erro, cada “eu te amo” não dito e cada carinho não ofertado. Aguenta as distâncias, as barreiras, as dificuldades. E o mesmo amor espera, visualizando lá na frente, num futuro que pode ser daqui a 2, 5 ou 20 anos ou que dure algumas vidas futuras, que os nossos corações possam se reencontrar sem medos e sem culpas, torcendo para que o ponto final de agora seja apenas uma reticência abreviada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário