quinta-feira, 28 de junho de 2012

O que será que será?



Queria costurar as fissuras do meu coração partido e de repente não mais que de repente alguém tomou da minha mão a linha e a agulha e, com a agilidade, habilidade e cuidado de um alfaiate, foi arrematando e juntando os frangalhos desse músculo que bate em meu peito.
Apaixonei-me? Não sei, um “estou gostando muito” seria mais apropriado, mas há uma coisa diferente brotando em meu peito, não tem como negar.
Apaixonamos-nos? Oxalá tivesse poderes telepáticos para saber o que se passa na mente dos outros e poder responder essa pergunta. Queria muito perscrutar o que vem atrás daquele sorriso bobo e sem jeito e das piadas que me faz tão bem.
O que será tudo isso meu Deus? Peço todas as noites em oração pra que venha um sinal dos céus e num lampejo eu descubra o que anda acontecendo comigo, com a gente, com a vida. Coragem? Peço também e pros dois, para quem sabe essa coisa maluca engrene e saia andando que nem carro de fórmula 1. Espero que seja amor, não nego, e se não for, que seja pelo menos algo que me deixe em estado constante de felicidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário