segunda-feira, 11 de junho de 2012

Sentado à beira do caminho

      “Eu não posso mais ficar aqui a esperar que um dia, de repente, você volte para mim.” O que seríamos de nós sem a música brasileira para nos descrever em situações cotidianas? Não posso mais ficar esperando um ônibus que nunca chega, um telefonema que não tem a sua voz do outro lado, esperar um e-mail, um sinal de fumaça, uma carta, o que seja vindo de você, mas que contenha apenas três palavras, ainda que subentendidas: VOLTA PRA MIM. “Preciso acabar logo com isso...” Chega de viver um amor centrado em mim, quando o pronome que deveria ser usado era um NÓS. Estou vendo a vida passar, as coisas mudarem, mas ainda insisto nessa situação unilateral, sabe por quê? Porque te amo, te amarei.“Preciso lembrar que eu existo, que eu existo, que eu existo...”

Nenhum comentário:

Postar um comentário