segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Perdas e ganhos


Que eu não perca a minha indignação, a minha força de vontade de tentar mudar o mundo, ainda que o mundo ao qual me refiro seja eu mesmo. Que não me anestesie com as mazelas humanas, com a podridão sociopolítica que nos cerca e que minha boca não se canse um só dia de dizer as verdades que incomodam o meu peito. Uma vez que a vida é de perdas e ganhos, sei que terei que engolir muitos sapos, mas que eu nunca saia por aí vomitando vespas. É tudo o peço todas as vezes quando coloco minha cabeça no travesseiro.

Um comentário: