quinta-feira, 22 de março de 2012

Ciumenta e vingativa


Dramática? Sou! Ciumenta? Mais ainda, e você não queira saber o quanto. Sinto inveja das roupas que tocam seu corpo no lugar das minhas mãos que passo horas cuidando em manicure e com cremes caros. Me dá ódio quando passa em minha cabeça que existem outros olhos pousados em você que não sejam os meus. Fico cega de ciúme quando aquela vadia posta algum comentário em suas fotos, na sua página social na internet, que dá vontade de cometer um crime e ter a felicidade em ser presa e condenada por homicídio duplamente qualificado. Mas quero na verdade pegar prisão domiciliar e perpétua para estar sempre ao seu lado.  
Você decidiu ser meu, minha propriedade, meu amor e eu não sou ligada à caridade para dividir você com os outros, já está de bom tamanho te compartilhar com seus pais, porque já veio incluso no pacote e não posso ligar para o Procon pra reclamar de algo que já sabia. Dá pra entender que te amo tanto que passo a viver uma coisa meio Sandy, com inveja do vento que te toca? Que meu amor, paixão, apego, doença ou como queiram chamar me desnorteia a tal ponto, que consigo enxergar o meu futuro sem você ao meu lado.
Eu disse que era assim. Não escondi um só defeito, até mesmo os mais podres, por isso me ame, cuide de mim, me dê atenção da maneira mais exagerada possível. Quero o nojo das relações amorosas, quero o grude, quero os apelidos, quero você, só você!

Júlia Siqueira

Nenhum comentário:

Postar um comentário