sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Platônico


Te ver passar do outro lado da rua faz meu coração saltar como se estivesse participando de uma competição de salto à distância. Perco o chão, não encontro as palavras certas pra dizer quando olha pra mim e, sem saber dos meus sentimentos escondidos, me cumprimenta com apenas um “oi” e me faz ser obrigado à apenas dizer a mesma coisa. Não achava ser possível um amor platônico, se é que se pode chamar assim, mas é. Quantas foram as vezes que fechei os olhos e imaginei um futuro contigo? Inúmeras. Uma ligação tua no meio da noite, um passeio numa tarde de sexta, uma praia no sábado, um filme no domingo e mais uma semana inteira de mimos e carinho. Como pode ser, gostar de alguém e esse tal alguém não ser seu? - já dizia Vanessa da Mata em sua música. Como pode ser? Ainda não encontrei uma resposta racional para isso. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário