segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Pequeno grande amor


Quando o amor bater à sua porta, saudai-o. Não com um bom dia, um boa tarde ou um boa noite, mas com um abraço forte, desses que quando damos em alguém os botões da blusa marcam a nossa pele. E que ele marque não só a sua pele, mas a sua alma. Que te faça um bobo, um palhaço, que lhe vire do avesso, que lhe faça travesso, falante, mudo, que lhe desperte sentimentos absurdos, que te encha de alegria. E que se acaso estes sentimentos quiserem sair de ti, que o amor ainda te dê forças pra ir de encontro ao que foi perdido, que lhe dê asas para voar pra onde quiser, que lhe dê coragem para perdoar os erros que talvez tenham sido cometidos, mas que lhe dê mais e mais capacidade para amar. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário