terça-feira, 6 de novembro de 2012

Volta



Quanto tempo se passou? Um dia? Duas semanas? Seis meses? Um ano? Às vezes acho que o tempo brinca comigo, pois parece que foi ontem. Nós dois ali, feito crianças, brincando de fazer castelo com areia da praia e sonhando que ali que iríamos morar. Abandonamos o castelo, as ondas do mar o levou e com ele talvez os nossos sonhos juntos. Os meus, pelo contrário, continuam aqui, intactos, como se o tempo pra mim não houvesse passado, como se o fim fosse apenas mais uma palavra no dicionário.
Comprei uma casa perto de você, sabia? Te vejo todos os dias passar rapidamente para ir pro trabalho e escondido pela cortina do quarto aceno pra ti um beijo de amor. Quem sabe o tempo passa pra mim? Ou ele retrocede, volta pra você? Quem sabe o mar nos devolve o nosso castelo? Quem sabe o mundo devolve os nossos sonhos? Quem sabe? Eu não sei! E enquanto isso deito, peço proteção a Deus para a sua vida, me aninho na cama grande e vazia na esperança de que um dia, veja você abrir a porta e deite ao meu lado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário