segunda-feira, 1 de abril de 2013

Dia da verdade



Imaginem se o dia de hoje, conhecido por ser um dia de pegadinhas e brincadeiras entre amigos, fosse o dia da verdade, e que nesse único dia do ano nós pudéssemos dizer todos aqueles fatos que guardamos para as pessoas que mais merecem ouvir determinadas coisas, mas que nós, por ética ou educação, insistimos em esconder. Como será que seria? Vejo uma possibilidade de caos, mas seria um ótimo começo pra uma sociedade que não preza por sinceridade. Ser sincero às vezes é sinônimo de ser grosseiro. Então sejamos eternamente grosseiros apenas por um dia.
Comecemos então, dizendo ao patrão pra se afastar um pouco porque ele tem um bafo insuportável ou falando àquela amiga fashionista que certas roupas apenas combinam nas modelos e nas passarelas e não na vida real nem muito menos nela. Ou melhor, dizer aos políticos que eles têm que trabalhar e não ficar passeando e gastando o dinheiro público, que nós estamos de olho neles e se pisar na bola um milímetro é xilindró na certa. Bradar para uns aí que Deus não é comércio, e ainda gritar pra’quele “amigo” xarope, que você não gosta dele, apenas o tolera por educação e simpatia.
Eu acho que esse dia da verdade seria mais fácil pra uns e muito difícil pra outros, afinal mentir se tornou tão verdade pra alguns que é melhor viver nesse mundo iludindo-se do que acordar pra um mundo de novidades mais reais e menos ilusórias. Então, pra vocês, feliz dia da mentira... E eu continuo grosseiro, vivendo mais um dia de verdades!

Nenhum comentário:

Postar um comentário