quarta-feira, 10 de julho de 2013

Contos reais


Você acha que me engana com esse seu jeito meio torpe de dizer que um dia me fará feliz, colocará uma aliança no anelar da mão esquerda e construirá um abrigo pra nós nos escondermos do mundo? Não acredito mais em conto de fadas, nem príncipes que despertam damas com um beijo e nem sapos que viram príncipes. Vivo num mundo real, doente, sádico, amoral, em que as coisas machucam e que os finais felizes acabam em um final de tarde atípico durante uma cerveja e outra no barzinho na orla e não num felizes para sempre ou até que a morte os separe. Então não minta, não finja que se importa, que ama, que sente algo (duvido da capacidade de sentimentos bons vindos de ti), seja você, esse sujeito torto, esse sorriso sacana na boca de quem gosta de iludir e jogar fora como copo de café em fim de expediente, porque só assim, real, visceral e falso é que eu consigo te amar. As pessoas não gostam daquilo que realmente vale a pena, e eu não seria exceção.

Júlia Siqueira/ Taynan Brandão

Nenhum comentário:

Postar um comentário