domingo, 25 de dezembro de 2011

Cuidado! Frágil!

Cuidado! Frágil! Era a inscrição que deveria vir junto com ela, embora as camadas de plástico-bolha que a revestia mostrassem aos outros o contrário. Bom artifício usado para quem quer demonstrar ser forte a todo instante, mas há momentos em que as melhores baterias descarregam. Então chora, chateia-se, mas logo recupera o riso e a alegria na qual fora constituída e tenta esquecer as coisas que lhe desagradara. Sábia decisão. Decidiu aumentar sua força fundando-a em sua fragilidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário