quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Rabiscos


Não fui, não sou e não sei se serei daqueles que escreve cartas de amor para impressionar, que causa um frisson ao chegar em algum lugar, que chama a atenção e toma todos os holofotes e câmeras fotográficas para si. Vivo num mundo meu, tranqüilo, sossegado, fechado, uma coisa quase autista que só eu sou capaz de entender...

Nenhum comentário:

Postar um comentário