sábado, 29 de outubro de 2011

Sinceridades

          Eu nunca lhe prometi nada. Muito pelo contrário, você que havia me prometido coisas que não estavam ao seu alcance. O céu, o mar, as estrelas são o exemplo clássico das promessas que não havia a menor possibilidade de levar a diante, e eu nunca fui idiota a ponto de achar que poderia cumprir com o tudo o que disse me oferecer um dia. Espere de mim educação, cordialidade e um pouco de minha amizade. Se quiser algo a mais se esforce e conquiste para ter a certeza depois, que aconteceu por méritos próprios – foi o que lhe disse. E embora parecesse grosseiro de minha parte, foi a mais pura sinceridade. Às vezes sendo sinceros somos mal interpretados, mas antes façam um juízo equivocado do que eu digo, do que eu sinta estar sendo hipócrita com alguém e acima de tudo comigo mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário