terça-feira, 18 de outubro de 2011

Semente

Eu era semente. Um dia me jogaram na terra. Fui terra e semente misturadas, uma confusão sem fim. Veio o calor do sol e queimou a terra, chegou a chuva e a molhou. E eu, semente confusa sentia frio e calor, e experimentava a prisão também, estar ali na terra me aprisionava de algum modo. Então resolvi crescer. Abri meus brotos, finquei minhas raízes ali mas resolvi subir, ir à superfície, formar as minhas folhas, eu podia e assim fiz.  Já não recebia o calor do sol e as gotas de chuva com a mesma apreensão de antes porque aprendi que com elas poderia fazer muitas coisas.
Chegou a mim então o último elemento, o ar, e com um vento forte soprou as sementes presas a mim pra longe. Ah vento! Graças a você estarei tão longe como sempre imaginei, vivendo em outros lugares e mostrando o quão forte me tornei. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário