terça-feira, 1 de novembro de 2011

A gota


Perdido nos pensamentos mais ocultos e envolvido pela solidão desértica e seca da alma. Deliciosos sonhos inacabados... Sonhos interrompidos por mais um amanhecer. Seria bom não mais acordar. Seria bom não mais enxergar pelas fissuras de um simples e belo sonho. Quão ilusória é a mente! Quão frágil e vulnerável é o coração! Quais conclusões tirar a respeito das imaginações? Quais sentimentos alimentar depois de inacabados sonhos ter? Uma busca incessante por apenas uma gota! Uma gota... A gota! Uma gota de pensamentos ilusórios ou sonhos, que sejam! De onde vem? Pouco importa. Melhor concentrar esforços nos seus efeitos transformadores e realizadores a perder tempo imaginando suas causas e origens. - Utopia? -Não! VIDA! Que graça teria ela sendo fácil entender os confusos e sonhadores pensamentos escritos até aqui?


(Wálas Figueredo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário